Blog Archives

Sinop: com pátio lotado, Detran deve triturar mais de 900 veículos nos próximos dias

 23-montagem_patio_detran

Fonte: Só Notícias/Herbert de Souza

ARQUIVO DETRAN

Mais de 900 veículos abandonados, há mais de dois anos, no pátio da 19ª Ciretran, devem ser triturados nos próximos dias. São cerca de 830 motos e 70 carros. A medida deve “aliviar” a área de estacionamento, lotada há vários meses, com cerca de 2.150 motos e 50 carros. “No momento, só estamos depositando motos no nosso pátio. Os carros estão indo para a empresa de guincho, onde já estão mais de 400. Agora, vamos só fazer a relação dos veículos que não foram retirados pelos proprietários após as notificações e chamar a empresa de reciclagem. O processo deve ser concluído em 30 dias”, explicou o chefe da unidade, Valdir Sartorello.

As motos e carros passarão por um processo de descontaminação, descaracterização, compactação e, por fim, trituração. Os valores pagos pela empresa serão depositados em uma conta de Detran, como forma de recuperar parte do dinheiro não recebido das taxas e impostos dos veículos. O valor pago pela empresa pelos veículos de Sinop não foi informado. O preço mínimo, previsto em edital, era de 16 centavos por quilo de sucata. Apesar da trituração, os débitos fiscais e demais continuam constando no nome do proprietário até que sejam quitados. A proposta, a partir de agora, é lançar leilões periódicos (de seis em seis meses) para evitar o novo acúmulo de veículos nos pátios do Detran no Estado.
“Temos veículos abandonados no pátio da Ciretran há mais de sete anos. Este é um assunto discutido em nível estadual. Com este edital, já vai dar uma boa limpada nos pátios, onde o trabalho de logística tem sido muito difícil. Agora, a procura é por uma fórmula para resolver o problema definitivamente”, afirmou, Sartorello. Atualmente, parte dos veículos apreendidos em Sinop estão ficando com parte dos veículos nos pátios. “Temos mais de 400 carros nos guinchos em Sinop, que recebem R$ 10 por dia por cada. Estas empresas ficam com a responsabilidade de zelar pelos veículos.
Porém, é um trabalho de risco, pois muitas vezes o proprietário não volta para buscar o carro ou moto e deixa o prejuízo”, destacou o chefe da Ciretran. O edital de leilão foi divulgado em novembro passado. Cerca de 14,2 mil motocicletas e 3,2 mil carros. Em abril, deste ano, a Assembleia Legislativa aprovou uma lei prevendo que veículos apreendidos ou removidos, a qualquer título, ao pátio do Detran ou nas Ciretrans e que não fossem retirados por seus proprietários dentro do prazo de 90 dias -após pagarem documentação, multas e taxas- seriam levados à hasta pública (vendidos).
A lei, elaborada pelo deputado Zé Domingos (PSD), definiu dedução do valor arrecadado do montante da dívida relativa a multas, tributos e encargos legais, e o restante, se houver, depositado à conta do ex-proprietário. A lei determina que a hasta pública para a alienação dos veículos não reclamados por seus proprietários deverão acontecer, no máximo, a cada seis meses. Os que não forem comercializados e que estiverem em condições de uso, aptos a voltarem à circulação deverão ser doados a instituições filantrópicas, previamente cadastradas, que prestam assistência à criança, ao adolescente e/ou ao idoso, bem como ao Fundo Estadual Antidrogas de Mato Grosso.
Advertisements

População está incomodada com carros abandonados

Moradores temem por concentração de animais peçonhentos e dengue

Fotografada por Evandro Freitas
Carros abandonados nas ruas de Volta Redonda
VOLTA REDONDA

Moradores de vários bairros estão insatisfeitos com a quantidade de carros abandonados pelas ruas do município. Em várias localidades é possível encontrar mais de um veículo sem uso. O problema causa medo à população que teme pela concentração de bichos peçonhentos no interior dos carros, que servem também de criadouro para o mosquito Aedes agyti, transmissor da dengue e para bandidos que à noite, quando percebem a aproximação das pessoas, se escondem para em seguida atacá-las.

Na Rua Embaixador Assis Chateaubriand, no Aterrado, o Siena prata, placa 7887, está parado nas proximidades da Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Volta Redonda (Aciap-VR) há vários dias. No mesmo bairro, nas proximidades da 93ª Delegacia de Polícia (DP) mais três. Outros carros também estão ocupando vagas na Rua 100 no bairro Laranjal, nas proximidades do Clubinho do Laranjal na Rua 1, no Conjunto Habitacional Vila Rica, como nas proximidades do Mergulhão Marquinho Tinhorão, no São Geraldo, e nas proximidades da Escola Técnica Pandiá Calógeras (ETPC), no bairro Sessenta, está a Kombi que servia açaí. Esses, de acordo com os reclamantes, são apenas alguns exemplos, pois tem muito mais veículos abandonados.

A reclamação é de que em alguns pontos essas vagas estão sendo ocupadas com carros abandonados que seus proprietários não estão nem aí. Muitos alegam que essas pessoas acabam atrapalhando, não só quem trabalha nas proximidades desses locais e que podem estacionar seus veículos por tempo determinado, mas os moradores das redondezas também.

A estudante Raquel Lima de Assis, 25 anos, declarou que nesse caso, a insegurança é que predomina, já que em alguns locais, os marginais aproveitam da oportunidade para praticar crimes, como assaltos e até mesmo usar drogas. “Usuários de drogas, assaltantes, principalmente adolescentes, moradores de rua e outros estão usando esses carros. Por isso, a gente que necessita passar por essas localidades, principalmente à noite, vive apreensiva”, declarou.

A estudante ressaltou ainda que, há poucos dias, por pouco não foi assaltada no bairro Laranjal quando passava pela Rua 1, depois da aula. “Só me salvei porque meu amigo passava de carro e me ofereceu carona na hora em que um jovem, que estava escondido atrás de um carro abandonado, saiu de trás do veículo sem que eu percebesse. Graças à Deus que meu amigo apareceu”, destacou a jovem.

MUTIRÃO

A situação também se repete em vários bairros com as sucatas que também oferece perigos para a população nas questões de saúde e segurança. Ontem, a Guarda Municipal de Volta Redonda, através da Unidade de Guarda Comunitária (UGC) anunciou que começou mais um mutirão de retirada de sucatas abandonadas nas ruas da cidade que, além de causar a sensação de insegurança, atinge diretamente à saúde pública. A informação é de que, do início do mês até ontem, 21 carcaças de veículos, sendo 15 delas somente nos últimos dez dias, já foram encaminhadas ao Depósito Público Municipal do bairro São Luiz. Os carros também serão recolhidos pra o depósito.

Segundo informou o comandante da GMVR, major Luiz Henrique Monteiro Barbosa, todo esse esforço é para manter a cidade limpa e em ordem, valorizando a qualidade de vida. “E, para que possamos abranger a cidade toda, é muito importante a participação da população através de demandas encaminhadas à Ouvidoria, que serão atendidas o mais rápido possível”, ressaltou o comandante.

O comandante faz questão de lembrar ainda que, a Guarda Municipal retirou das ruas, através da UGC, a partir de agosto de 2013, um total de 827 veículos em situação de total abandono. O e-mail da Ouvidoria da GMVR para denúncias é  ouvidoria.gmvr@portalvr.com  e o telefone 3339-9292, sendo que o funcionamento é no horário comercial.

FOTO: EVANDRO FREITAS

Pátio de veículos abandonados preocupa moradores de Porto Feliz

Centenas de automóveis estão espalhados em área da zona rural. Prefeitura diz que empresa não tem documentação para exercer atividades.

Fonte: Do G1 Sorocaba e Jundiaí

Moradores da zona rual de Porto Feliz (SP) estão questionando a legalidade de um pátio de veículos instalado no bairro Bom Retiro. Segundo donos de chácaras e sítios que moram próximos ao local, o estacionamento é irregular e pode provocar danos ao meio ambiente. Já a prefeitura afirma que a empresa responsável pelo pátio não tem a documentação necessária para funcionar e, por isso, o Ministério Público foi acionado.

Empresa não tem documentação do pátio (Foto: Reprodução TV TEM)
Empresa não tem documentação do pátio
(Foto: Reprodução TV TEM)

Uma das principais preocupaçãoes dos moradores é com o ribeirão Avecuia, que abastece a cidade. Eles têm medo que a proximidade da área ocupada pelos carros traga prejuízos com a contaminação da água no futuro. O aposentado, João da Silva Filho, também reforça essa tese. “Se contaminar isso daqui, vai contaminar a água da nossa cidade. Porque o único manancial que Porto Feliz tem é o da Avecuia”, diz.

O agricultor, Benedito de Jesus Diana, também acredita que esse tipo de armazenamento de carros pode prejudicar o meio ambiente. “Não tem bacia de contenção para os resíduos deixarem de ir ao ribeirão. Porque, futuramente, com o tempo, vai”, explica.

O publicitário, Wagner Ebner, tem uma chácara no bairro. Ele conta que a chegada inesperada de um depósito de veiculos na região chamou a atenção de bandidos. “Eles roubam carros inteiros ou roubam peças. E a gente não que esse tipo de pessoa circulando aqui no meio da comunidade”.

Ribeirão Avecuia, em Porto Feliz (Foto: Reprodução TV TEM)
Ribeirão Avecuia, em Porto Feliz
(Foto: Reprodução TV TEM)

O publicitário também comenta que depois da chegada dos veículos, a paisagem está sendo modificada. “Gosto de ver um pássaro, um bicho… Imagino quem está do lado desta propriedade, que está começando a ver pilhas e pilhas de carros enferrujados e empilhados”.

De acordo com o diretor da Secretaria de Meio Ambiente, Alessando Santos, a empresa não tem autorização de órgãos ambientais como a Cetesb para funcionar na área. Ele afirma que a prefeitura já fez a notificação e acionou o ministério público. “A prefeitura, junto com o Ministério Público, estão tentando resolver isso. A empresa não tem nenhuma documentação municipal pertinente pra essas atividades”, finaliza.

Lei propõe que Prefeitura remova carros abandonados em MG

Câmara Municipal de São João del Rei votou projeto nesta terça (9). Prefeito diz que não há previsão para aprovação do regulamento.

Do G1 Zona da Mata 
Carros abandonados nas ruas de São João del Rei (Foto: Reprodução/TV Integração)
Carros abandonados nas ruas de São João del Rei
(Foto: Reprodução/TV Integração)

A Câmara Municipal de São João del Rei votou nesta terça-feira (9) a lei que autoriza a Prefeitura remover veículos abandonados nas ruas da cidade. Mas o prefeito Helvécio Reis diz que não há previsão para que ela seja aprovada devido a alguns impasses que precisam ser resolvidos antes.

O regulamento determina que os automóveis deixados nas vias por mais de 15 dias, e que estejam sujos, com lixo acumulado ao redor, devem ser removidos pela administração municipal.

O MGTV mostrou que muitos carros estão abandonados nas ruas da cidade histórica. No Bairro Tijuco, o motorista Carlos Alberto de Souza disse que tem um automóvel abandonado há muito tempo em frente à casa do irmão dele.

Próximo ao bairro também foi encontrado outros veículos abandonados. Moradores da região disseram ao telejornal que um deles está no local há um ano, outro há seis meses e um terceiro há pelo menos três anos. Segundo o MGTV, muitos dos automóveis esquecidos pelas ruas do município estão em péssimo estado de conservação e ainda podem acumular água e ser foco do mosquito da dengue.

“Muito carro velho abandonado acumulando lixo. Ficamos com medo porque a dengue é uma doença muito perigosa e, para evitá-la, a limpeza é essencial. Aqui tem muita sujeira”, contou o aposentado Euclídes Guimarães.

No Bairro Nossa Senhora de Fátima, foram encontrados mais dois carros. Os repórteres procuraram os donos a fim de saber o motivo dos automóveis terem sido abandonados. Entretanto, um dos proprietários não foi encontrado e o outro não quis gravar entrevista, mas contou à equipe por telefone que está à espera de uma peça para o motor do carro e que na próxima semana vai retirar o veículo da rua.

A aposentada Irene Maria Netto desabafou dizendo que está cansada de ouvir do dono de um automóvel abandonado próximo à residência dela esse tipo de promessa. “O carro está parado no local há mais de anos e o dono não fez nada. Ele é velho e tem muita sujeira”, acrescentou.

A Polícia Militar (PM) disse ao MGTV que não tem responsabilidade sobre essa fiscalização. “O veículo abandonado não caracteriza uma infração de trânsito, logo, não podemos atuar sobre o que rege o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Esse tipo de infração é caracterizada contra a postura municipal”, explicou o tenente da PM, Ricardo Belini.

Para cumprir a lei, a Prefeitura informou que antes precisa resolver alguns problemas, conforme explicou o prefeito. “Nós temos vários problemas como a falta de um depósito para colocar os veículos, além de questões jurídicas. Afinal, são propriedades privadas e precisamos de orientação jurídica para cessar questões fiscais porque pendências de IPVA e multas que precisam ser resolvidas e ainda não sabemos como”, explicou Helvécio Reis. Ele disse, ainda, que não há previsão para a aprovação da lei.

O prefeito reforçou que o projeto é interessante, mas que o problema é que os proponentes não conversaram com a Prefeitura. “Se nós tivéssemos tido tempo para construir esse projeto a várias mãos teríamos tido diálogo e talvez condições  melhores do que está hoje”, concluiu.

GM Opala, menos um! Quantos já foram? Quantos irão?

leilao-sucatas-DER-parana

Paraná.

Carros abandonados bloqueiam vagas em SP: veículos foram deixados em frente a condomínio, na zona oeste de São Paulo

Carros abandonados têm dificultado o estacionamento de outros veículos na rua Dr. Mário de Moura e Albuquerque, no bairro Jardim Monte Kemel, zona oeste de São Paulo. De acordo com o leitor Pedro Silva, os automóveis estão no local há um ano.

 Foto: Pedro Silva / vc repórter
Os carros foram deixados em frente a um condomínio

Foto: Pedro Silva / vc repórter

Pedro afirmou que os carros ficam em frente a um condomínio, na altura do número 400 da via. Segundo o leitor, os automóveis prejudicam moradores e frequentadores do conjunto residencial. Ele relatou que, sem encontrar vagas, veículos que transportam pessoas idosas são obrigados a estacionar em outras ruas, mais distantes.

O leitor disse ter recebido informações de que os automóveis pertencem a moradores do condomínio. Ele afirmou que denunciou o caso à prefeitura, mas nenhuma providência foi tomada.

 Foto: Pedro Silva / vc repórter
Leitor afirmou que os veículos estão no local há um ano

Foto: Pedro Silva / vc repórter

Procurada pelo Terra , a prefeitura, por meio da Subprefeitura Butantã, informou que está programada para esta semana uma vistoria técnica no local. A administração municipal disse que, “caso seja constatada a irregularidade, os carros serão devidamente adesivados, conforme procedimento padrão”.

A prefeitura explicou que, inicialmente, é afixada no veículo uma notificação. Após o prazo de cinco dias úteis da data da notificação, caso não haja providências do responsável, o caso passa a ser considerado abandono e é incluso na programação para remoção da subprefeitura.

A administração municipal esclareceu que, para que um veículo seja removido, a subprefeitura precisa seguir uma série de procedimentos legais e administrativos, entre eles: verificar junto aos demais órgãos competentes, como Polícia Militar e órgãos de trânsito (CET e Detran), se o veículo não tem relação com crime, sinistro ou furto ou, ainda, se não possui nenhum tipo de pendência judicial

Chevrolet Monza abandonado em calçada. Em Brasília, DF. Flagra de Wellington

Wellington Brasília DF Monza 2

Moradores convivem com carros abandonados no bairro do Estuário

Quem transita pelas ruas do bairro Estuário, em Santos, não precisa andar muito para encontrar veículos em situação de abandono. São carros sujos, enferrujados, muitas vezes, sem placa e partes como retrovisor, bancos e até motor.

A reportagem do Diário do Litoral flagrou, ao menos, 10 veículos nestas situações. Dois estavam na Rua Doutor Bernardo Browne. O primeiro, um Fiat Palio, fabricado em 2000, com placa de Santos, estava sem faróis e retrovisores. Em frente a este, estava um Fiat Uno Mille, de 1996, com placa de Praia Grande, com parte da carcaça corroída pela ferrugem. Os vidros de ambos estavam sujos a ponto de não conseguir enxergar dentro do carro.

Já na Rua Coronel Raposo de Almeida eram 4 carros. O único emplacado era um Kadett, de 1994, com placa de Santos. Além dele, estavam abandonados um Renault, uma Kombi e um Gol, modelo antigo. Todos com a lataria bastante corroída pela ferrugem. Em pior estado estava o último, já sem vidros, portas e bancos.

Ford Fiesta abandonado, na Rua Otávio Côrrea, está sem motor e rodas (Matheus Tagé/ DL)

Ford Fiesta abandonado, na Rua Otávio Côrrea, está sem motor e rodas (Matheus Tagé/ DL)

Outros cinco carros em más condições foram flagrados na Rua Otávio Corrêa. Foram um Ford Royale, de 1994, com placa de Santos, uma BMW, de 1993, com placa de São Bernardo do Campo, um Fiat Marea, de 1998, com placa de Santos, um Ford Fiesta, de 1994, com placa de Santos, além da carcaça de um carro, sem identificação, em cima de um cavalete. Todos em estado semelhante aos outros relatados.

Moradores reclamaram da situação. Dizem que os veículos abandonados ocupam as vagas nas ruas, deixando os habitantes do bairro sem local para estacionar o seu veículo. Além disso, os munícipes afirmaram que a situação já se arrasta há anos e que realizaram denúncias à Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), mas que nada foi solucionado.

Fonte: http://www.diariodolitoral.com.br/

Carros abandonados em estacionamentos de rodoviária: isso rola!

RC 2

Carro está abandonado na Rua F2, no setor Faiçalville II, em Goiânia-GO.

RC 2

Segundo o nosso repórter cidadão, Tony Júnior o descaso dura cerca de dois anos.  O carro está cheio de larvas do mosquito transmissor da dengue.